O compromisso com o próprio corpo

Passos que devem seguir todos os que buscam melhorar a qualidade de vida, mantendo o peso sob controle:

– Cuidar da alimentação de forma equilibrada e saudável.

-Praticar esporte ou ginástica.

– Equilibrar as emoções, sentimentos e ações.

Há muito tempo a obesidade deixou de ser apenas um  problema estético, para ser  reconhecida como causadora de sérios problemas de saúde.

A pessoa que está acima do peso recomendado, pode desenvolver sérios problemas cardíacos, diabetes tipo 2, apnéia, lesões nas articulações, problemas de relacionamento, dentre outros.

Como se não bastassem essas doenças, essa pessoa terá mais dificuldade de conseguir um emprego, pois mesmo que ainda não tenha nenhuma das doenças citadas acima,  é candidato em potencial. Soma-se a isso o desconforto ao locomover-se e comprar roupas.

Ir ao endocrinologista, fazer os exames e seguir as recomendações dele é o primeiro passo para a busca da solução. Ele recomendará a dieta e  a prática de atividade física mais adequada. Os remédios para emagrecer estão sendo retirados do mercado, devido aos efeitos colaterais que provocam. Além disso, o efeito é passageiro e cessa quando a pessoa para de tomá-los.

Ir ao psicólogo se faz necessário para conhecer-se melhor, aceitar-se e definir metas a alcançar dentro de um prazo razoável. Se o emagrecimento é muito rápido, o corpo tende a trabalhar para repor o que perdeu. Se for muito demorado, ocorre a frustração por não ver mudanças significativas.

A mudança de comportamento traz o bem estar e a redução do peso de forma gradual e duradoura.

Afinal, como você quer estar dentro de 10, 20, 30 anos?   Como será a sua saúde? Poderá viver bem e realizar os seus sonhos e projetos?

Cuide-se enquanto é tempo, não espere para cuidar-se quando só poderá recorrer  ao último recurso: a cirurgia bariátrica.

 

Advertisements

Comer para quê?

Qual a relação que estabelecemos com os alimentos?

A alimentação deveria cumprir a função básica de alimentar e manter o perfeito funcionamento do organismo. Porém não é isso o que acontece atualmente.

Se voltarmos na história, desde a época das cavernas, o alimento era escasso e muitas vezes dificultoso de se conseguir.

O homem caçava e estocava o alimento, pois não sabia quando obteria mais. Para caçar tinha que andar muito e gastava assim muita energia. Queimava as calorias, por isso não engordava.

As pessoas cujas células armazenavam mais gordura tinham mais chance de sobrevivência. Assim, se fez a seleção natural da espécie.

Hoje tudo mudou. Vemos o alimento como fonte de prazer, status, maneira de descarregar tensões.  Deixamos de comer por ter fome real e passamos a comer por ter fome “emocional”.

Também a maneira de obter os alimentos mudou. É fácil. Nem precisamos mais sair para comprá-lo, é só chamar por telefone ou pela internet.  Não despendemos  energia física. Precisamos somente de dinheiro para pagar a conta.

Porém uma coisa não mudou… a maneira como as células armazenam a gordura.  O alimento ingerido é armazenado sob a forma de gordura e fica lá, esperando ser utilizado.  Mas como isso não acontece, devido ao estilo de vida sedentário, logo chega a hora de outra  refeição e a consequente ingestão  de mais carboidratos, gordura,  e tudo se acumula nas células.

Comer de forma seletiva

1 – Quando quisermos nos alimentar, deveremos primeiro perceber se a fome é real ou emocional.

2 –  Ter horário certo e fracionar as refeições. Comer pouco em intervalos menores de tempo. Assim o organismo sente que não ficará tanto tempo sem alimento e não armazenará tanto.

O ideal é fazer cinco refeições durante o dia: café da manhã, lanche ( fruta ou iogurte), almoço, lanche(fruta ou iogurte), jantar.

3 – A escolha dos alimentos deve ser seletiva. Deveremos nos perguntar qual a real necessidade daquele alimento para nosso organismo.

Um exemplo que aprendi com a minha gatinha,  pode servir para ajudar a entender nosso comportamento.

A gatinha, cada vez que passava em consulta com a veterinária, ganhava um biscoitinho doce próprio para animais.   Ela olhava, cheirava, empurrava com a patinha e não comia, mesmo se estivesse com fome. Esperava chegar em casa para comer sua ração.  Parece que “sabia” que aquilo não lhe acrescentava nada de bom. Esse pode ser chamado de instinto de conservação.

Nós também deveríamos ser assim. Olhar, analisar e somente comer o que for necessário e saudável.

Nós que subestimamos os animais e nos julgamos superiores, perdemos o instinto de conservação?

As nossas escolhas devem ser mais racionais que emocionais. Devemos nos perguntar se aquele alimento que estamos pensando comer e a quantidade escolhida  são realmente necessários.

Podemos substituí-lo por outro?

Podemos comer menor quantidade e ficar satisfeitos, sem sentir fome?

Procure uma nutricionista,  peça ajuda para montar um cardápio que seja adequado ao seu tipo físico e às suas necessidades diárias.

Se a sua fome é emocional, procure uma psicóloga,  descubra as causas e como resolvê-las.

Como você quer chegar à idade avançada?

A qualidade de vida depende de

  • Ter  boa saúde e   poder realizar atividades diárias.
  • Ter boa saúde mental.
  • Ter bom relacionamento com a família e os amigos.
  • Tratar as doenças que por ventura apareçam.
  • Poder manter a independencia dentro de casa.

Comece imediatamente a pensar nesses aspectos e envelheça com saúde e feliz.

Há um velho ditado que diz: o peixe morre pela boca!

Escolha seus alimentos e como quer viver.

OBESIDADE – o que devemos saber para tratá-la.

Como ela começa
A obesidade pode começar em várias etapas da vida.
A família obesa tem a tendência de gerar crianças obesas. Não que seja norma geral, mas se os pais são obesos, a chance de ter filhos obesos é muito maior. O pediatra deve orientar a futura mamãe a respeito.
Na infância, quando há o desmame, a mãe fica com medo que seu filho não esteja bem nutrido e o superalimenta. Antigamente se dizia que nenê gordo era sinônimo de nenê saudável. O excesso de nutrientes nessa fase faz com que se desenvolvam em maior quantidade as células de tecido adiposo.

É na fase de crescimento que as células se multiplicam. Portanto é durante de toda a fase de crescimento que os pais devem ter cuidado para que seus filhos não se tornem obesos.
Na adolescência e vida adulta, as células adiposas mantém sempre o mesmo número, não importa se a pessoa está magra ou obesa. O que vai variar é o tamanho dessas células. É como se as comparássemos com sacolinhas de plástico que podem estar vazias e no momento em que precisamos carregar algo, fazemos uso delas e logo estão cheias. Assim, se comemos além do necessário, a gordura fica depositada nas células e o peso aumenta.
O peso começa a subir na balança, mas a pessoa não se da conta. Só quando a roupa começa a ficar apertada é que dispara um alarme : O que está acontecendo?DSC02298
Olhando no espelho da pra ver o novo pneuzinho, a dobrinha… mas ainda não é motivo de muita preocupação.
Isso acontece porque nos acostumamos com o nosso corpo, e como a mudança não ocorre de um dia para outro, fica mais difícil perceber.
Continuamos na nossa rotina, não mudamos nada e o peso continua a subir.
Quando começam os cuidados
Os cuidados começam quando os quilos a mais impedem que usemos aquela roupa preferida, ou quando alguém nos alerta de maneira a nos deixar preocupados.
Há pessoas que não são tão sutis e nos avisam a respeito do problema de forma pejorativa que nos deixa tristes ou de mau humor. Então se acende a luz vermelha de alerta máximo e começamos a pensar o que deve ser feito para resolver a questão.
Nesta fase surgem as amigas que sempre tem uma receita mágica, que alguém tomou e perdeu muitos quilos. Sempre há boa intenção nas indicações, mas nem sempre se conhecem os efeitos de cada chá, dieta ou remédio, portanto muita atenção!
O que se deve saber
É importante saber que a obesidade é uma doença crônica, multi determinada e que traz consigo outras doenças associadas. O que é isso?
A obesidade é uma doença, porque ela se desenvolve e vai exigir tratamento contínuo, por toda a vida e não só no momento do emagrecimento.
Ela é multi determinada, porque surge de vários fatores que colaboram para o seu aparecimento e manutenção.
As causas podem ser: hereditárias; alimentação inadequada; doenças; remédios ( como os corticosteróides, por exemplo) ; sedentarismo, problemas emocionais; problemas pessoais; problemas familiares; problemas profissionais; problemas de relacionamento.
A pessoa que tem problemas e não consegue resolvê-los, fica ansiosa e angustiada. Busca na comida a satisfação momentânea. Assim a impulsividade e a ansiedade a levam a comer cada vez mais. Não come por ter fome real e sim porque a sensação de ingerir o alimento causa o bem estar, mesmo que passageiro e mesmo que venha a acarretar o problema da obesidade. Pode ocorrer então um círculo vicioso onde a pessoa come para sentir-se bem, e depois se sente culpada por ter comido além da necessidade real do seu organismo.
É fundamental procurar o auxílio de um/a psicólogo/a para trabalhar os problemas. Esse profissional também fará o encaminhamento para um médico endócrino, uma nutricionista e indicará a prática de esportes para auxiliar no tratamento.
Tudo isso ??? Você deve estar se perguntando. A resposta é SIM ! Porque o ser humano é complexo e precisa ser tratado em sua totalidade.
É preciso saber se há algum tipo de problema ou carência de hormônios, vitaminas, etc. Para isso o médico pedirá exames e fará o diagnóstico.
O psicólogo trabalha a parte dos sentimentos e do comportamento. Descobrir quais os motivos que deixam a pessoa triste, ansiosa, depressiva e a levam a comer de forma compulsiva ou errada. Quando esses sentimentos são descobertos e tratados, inicia-se a fase da mudança de comportamento através da Terapia Cognitivo Comportamental.
A nutricionista fará a contagem de calorias e estabelecerá a dieta a ser seguida.
A atividade física é fundamental para acelerar o metabolismo e a queima de calorias, além de trazer bem estar após a atividade.
E sempre recomendo seguir uma religião de sua preferência. A parte espiritual equilibra o ser humano e o faz ter consciência que a vida segue, não se detém.
Assim o tratamento terá êxito. O ser humano é formado por: corpo, mente e espírito. O equilíbrio entre as três partes traz o bem estar e a melhoria da qualidade de vida.

Eliminar o Peso e Permanecer Bem

Através da mudança de comportamento, você vai alcançar a meta e manter o peso desejado. Essas mudanças, que no início nos parecem difíceis de manter, tornam-se naturais e rotineiras.

Comportamentos saudáveis:

Atividade física

1.Subir e descer escadas, em lugar de usar o elevador.

2. Caminhar, em lugar de sair de carro ou ônibus.

3.Fazer  30 minutos de exercício todos os dias. Caminhar, andar de bicicleta…

4.Praticar  algum esporte que goste.  Se não tem  tempo de fazer exercício, mantenha-se em   movimento, e  reduza o tempo que passa na frente do computador ou da tv.

Alimentação

5. Reduza  o  tamanho das porções de comida que coloca no  prato.

6. Evitar comer pão. Se tiver que comer, prefira o integral.

7. Evite beber refrigerante.  Beba  água mineral.DSC_0474

8. Beba até 2 copos de água 30 minutos antes de cada refeição. Isso ajudará a sentir-se      satisfeito por mais tempo e  a ter uma melhor digestão

9. Aumente o consumo de fibras; este nutriente acelera a atividade  do metabolismo.

10. Aumente o consumo de frutas e verduras.

11. Faça 5 refeições  ao dia: o café-da-manhã, lanchinho, almoço, lanchinho e  janta. Sugestões para o lanchinho: frutos secos, ou iogurte, ou cereais, ou uma fruta, ou  chá.

12. Coma  devagar. É uma maneira de “avisar” o seu organismo; a informação de saciedade chega ao cérebro, você se  sentirá saciado antes, e assim comerá menos..

13. Consumir muita água durante o  dia; aproximadamente 2 litros diários..

14. Desligar  a televisão quando estiver comendo.

15. Permita-se comer sua comida favorita de vez em quando. Uma boa dieta jamais tem proibições! A  palavra chave é  moderação.  Comer escondido… de quem????

16. Aprenda a distinguir entre fome natural e fome emocional.

Conduta

17. Motive-se. Pense que seguir uma alimentação saudável vai mais além da estética: é  por sua saúde!

18. Informe-se. Leia os artigos que falem sobre o assunto.   Quanto mais informado estiver: mais rápido, efetivo e bom para a saúde  será a mudança de comportamento.

19. Durma bem, umas 8 horas cada noite. É durante a noite que o organismo   se  reestrutura.

20. Evite o  estresse: quando estamos ansiosos, nervosos ou  deprimidos às vezes descontamos  na comida.

21. Faça fotografias do “antes” e “depois” para ver os resultados.

22. Seja realista. Não se perde peso de um dia para outro. Isso requer: Vontade,  Paciência e Perseverança.

23. Cuide-se para ter uma vida mais feliz!

 

 

Obesidade – Como evitá-la

IMG_0201

3º Simpósio sobre Obesidade na Infância e Adolescência do HC – FMUSP

Texto escrito por Inês Hurtado de Oliveira Niero

Psicóloga associada a ABESO

Obesidade – Como evitá-la

A obesidade é uma doença que atinge as pessoas no mundo todo, independentemente de sexo, idade ou poder aquisitivo.

Muito se tem alertado, estudado e discutido a respeito, porém, se não houver uma consciência a nível familiar, pouco se pode fazer.

A família é onde se da o primeiro contato com o mundo exterior. É com ela que aprendemos e adquirimos hábitos e atitudes.  Vem daí a importância da formação de hábitos alimentares na infância. Se a mãe oferece água ou suco de laranja, quando a criança tiver sede vai procurar uma dessas alternativas para beber. No entanto, se a mãe oferecer um refrigerante, dificilmente essa criança se contentará com suco ou água.

O mesmo ocorre com os lanches naturais x salgadinhos da hora do lanche.

Assim, é dentro de casa que temos que iniciar a prevenção contra a obesidade. A partir do momento em que ocorre o desmame e o contato com os alimentos, a mãe ou pessoa que cuida da criança, deve estar atenta aos horários de alimentação e à quantidade oferecida.

O nosso organismo tem um controle do que precisa ou não ingerir. Quando a criança não quer comer mais, é porque o seu cérebro recebe uma mensagem do seu sistema digestivo, avisando que está saciada.  Insistir e fazer a criança comer contra a vontade, é desrespeitar esse regulador interno.

Outro fator importante é a qualidade dos alimentos ingeridos.  Nosso organismo tem a capacidade de processar alimentos crus e de digestão mais lenta.  Porém, na sociedade atual, os alimentos são muito processados e de fácil digestão, o que leva a uma digestão mais rápida e conseqüente sentimento de “fome” em um espaço de tempo menor. O resultado é uma maior ingestão de alimentos em curto espaço de tempo.

A tudo isso, se alia a vida sedentária, seja pela falta de oportunidade, seja pela facilidade.

Antes as crianças brincavam na rua: corriam, jogavam bola, esconde-esconde, queimada; andavam de bicicleta e patins.  Na hora de ir para a escola, caminhavam na ida e na volta.

Agora por motivo de segurança, não podem brincar na rua. Ficam dentro de casa conectadas via internet, ou jogando videogame. O único movimento que realizam é com os olhos e os dedos.   Vão para a escola com o transporte escolar ou de carro com os pais. Quando não estão sentadas jogando, estão sentadas estudando.

Se tudo isso já é sabido, por que é tão difícil combater a obesidade???

IMG_0391

Porque falar é fácil, porém mudar comportamentos é difícil.  As pessoas se habituam e acomodam a uma “rotina” e mudá-la requer uma boa dose de consciência e atitude, segundo Dr. Mauro Fisberg.

É sabido que a obesidade traz consigo outras doenças: cardiovasculares, ortopédicas, psicológicas, respiratórias, displasias… por isso devemos ter a consciência que a mudança de atitudes é necessária se quisermos ter uma qualidade de vida melhor.

A mudança da dieta, incluindo a quantidade e qualidade dos alimentos, aliada a atividade física é a melhor, senão a única maneira de obter um resultado positivo e em longo prazo, que resulta numa vida mais saudável e prazerosa.

Não podemos esquecer a importância do sono na saúde. É durante o sono que os níveis dos hormônios se restabelecem. Quem dorme menos, ganha mais peso.

Uma noite mal dormida impacta no estado de humor da pessoa, gera cansaço e ansiedade.

A obesidade pode causar a apnéia do sono, doença que pode trazer mais comorbidades associadas.

Segundo Dr. Gilberto Formigoni, a apnéia do sono pode ser detectada através dos seguintes sintomas: ronco, pausa respiratória, sono agitado, sudorese noturna, sono em posições estranhas, despertares freqüentes, boca seca, enurese, babação, esforço para respirar, sonolência diurna, agitação, déficit de atenção, baixo rendimento escolar, déficit de crescimento, hipertensão arterial e hipertensão pulmonar.

Obesidade – Como tratá-la

Uma vez instalada, a obesidade é de difícil combate.  A mudança da educação nutricional deve ser radical.

Sabe-se que a origem da obesidade é multifatorial: genética, ambiental e comportamental.

Quanto ao aspecto genético, sabe-se por estudos com gêmeos idênticos, que eles ganham e perdem peso de forma semelhante.

Filhos de pais obesos têm maior predisposição a ser obesos na vida adulta. Isso não quer dizer que eles serão. Depende do ambiente e de como se comportarão nele.

Segundo o Dr. Durval Damiani, a obesidade tem que ser estudada levando em conta as diferenças do organismo de cada individuo. O metabolismo é diferente.  Assim, a ida a um endocrinologista e o tratamento são fundamentais para detectar as possíveis causas que levaram o individuo a atingir o peso acima do esperado.

Aliado ao tratamento com o médico endocrinologista, a Nutricionista é a responsável pela elaboração do cardápio individual.

O Psicólogo trata de todos os problemas que podem ser responsáveis pela obesidade e sua manutenção, assim como auxilia na melhora da auto-estima e convívio social.

São sintomas de problemas psicológicos: depressão, baixa autoestima, isolamento, desânimo, hipersônia, mau desempenho escolar, irritação sem motivo, falta de interesse generalizada.

Dr. Marcio Mancini afirma que o tratamento medicamentoso deve ser feito quando a criança é obesa e não teve êxito com a mudança alimentar e os exercícios. Crianças obesas na faixa etária entre os dez e quinze anos tem 80% de probabilidade de tornarem-se adultos obesos.

Quando a obesidade ultrapassa os níveis que podem ser tratados com medicamentos, e a pessoa tem grau de obesidade 3, é aconselhado o tratamento cirúrgico.

A cirurgia bariátrica deve ser indicada pelo médico e o paciente deve ser bem informado de todos os riscos e benefícios. Ele deve ser persistente e saber que a cirurgia não é a solução mágica para a obesidade. Ela é o ponto inicial de um longo tratamento, que se estenderá por toda a sua vida, afirma o Dr. Dênis Pajecki… Os exames e a suplementação com vitaminas devem ser seguidos à risca, se o paciente quiser ter uma boa saúde.

IMG_0386

Ensine seus filhos a comer de forma saudável

Uma boa dieta é uma das melhores formas de manter-nos saudáveis e em  forma. Se queremos que nossos filhos tenham uma alimentação correta durante sua vida adulta,  devemos educá-los desde os primeiros anos de vida. Sem dúvida, as refeições  em família são a oportunidade  perfeita  para desenvolver em nossos filhos uma atitude  saudável e uma correta alimentação. 160

Procure planejar pelo menos uma refeição  em família todos os dias. Se não podem almoçar todos juntos, pelo  menos tente que se reunir na hora do café da manhã ou na hora da janta. Um ponto básico é ter certeza de que nossa família  está  se alimentando de forma nutritiva (nada melhor que o exemplo para ensinar a alimentar-se de forma saudável).

Se o seu filho está acima do peso procure preparar comidas saudáveis para toda a família e  não unicamente para ele . Assim se estabelecerá um ambiente positivo e de apoio.  Tente realizar as refeições em horários regulares. Dessa forma evitará que as crianças terminem comendo snacks pouco saudáveis e ricos em calorias.

Ensine seus filhos a comer sentados à mesa, e não  diante do  computador ou da televisão. Além disso, . procure não restringir a comida. Isso pode causar um sentimento negativo de castigo ou abandono. Qualquer dieta restritiva deve ser feita sob a orientação  de um profissional da saúde. A comida nunca deve ser utilizada para premiar, consolar ou castigar.

Ensine seu filho  a comer lentamente. Como fazê-lo? Em primeiro  lugar ensine a apoiar o garfo no prato, entre uma garfada e outra.Ele deve mastigar bem o alimento antes de ingeri-lo. Só então, poderá por na boca a outra garfada. Se ao terminar,  seu filho quer repetir, faça-o  esperar durante cinco minutos para comprovar se ainda está com fome. O  segundo prato não deve ser mais da metade do primeiro.

Obesidade e asma

As doenças e problemas do organismo associados a obesidade, são múltiplos. Na lista estão a diabetes, os problemas cardiovasculares e a asma.
As pessoas obesas tem maior propensão a desenvolver asma , e de piorar a doença, se comparadas a outras com peso regular.
A asma é uma doença inflamatória crônica dos brônquios que causa:
a) Resposta exagerada dos brônquios a muitos estímulos do meio ambiente, como fumaça, pó, pólem, pelos de animal,infecções respiratórias, frio, umidade, exercício físico; ou aos alimentos, por exemplo:leite de vaca, amendoim, trigo, nozes, etc.
b) Essa resposta exagerada provoca os sintomas da doença: tosse, que pode ser seca ou com catarro, vômitos, chiados no peito (sibilância), sensação de falta de ar, fadiga ou agitação e sensação de aperto no peito.
A causa dos sintomas:
a) Contração dos músculos ao redor dos brônquios.
b) Espessamento das paredes internas dos brônquios.
c) Aumento da produção de muco
d) Espessamento do muco
Níveis de controle da asma:
a) Controlada
Nesse nível, os sintomas diurnos podem ocorrer até duas vezes por semana. A asma não limita as atividades físicas e não ocasiona sintomas ou despertares noturnos. Além disso, não necessita de tratamentode resgate e a função pulmonar é normal.
b) Parcialmente Controlada
Os sintomas diurnos ocorrem mais de duas vezes por semana; as atividades físicas tornam-se limitadas e a doença acarreta sintomas e despertares noturnos. Podem se necessários medicamentos de resgate mais de duas vezes por semana e o paciente pode apresentar uma ou mais exacerbações ao ano.
c) Não Controlada
Apresenta três ou mais características da asma parcialmente controlada, no espaço de uma semana.
Além disso, o paciente pode ter uma exacerbação por semana.

Há pesquisas que demonstram que oito em cada dez pacientes com asma também sofrem de rinite alérgica.

Assim, é fundamental que haja um controle do peso no intuito de minimizar ou mesmo prevenir o aparecimento da asma.

Fontes de pesquisa
Folder: Merck Sharp & Dohme
Site: Vivirsalud.com

Comorbidades da obesidade

A palavra comorbidade, é usada para definir as doenças que aparecem ou se intensificam com a obesidade.

Muitas vezes, são tratados como se fossem problemas isolados e independentes, quando na realidade, tem seu surgimento ou agravamento devido ao acúmulo de peso e gordura no organismo.

São eles:

Problemas Médicos
• Diabetes
• Lesões de ossos e articulações
• Colecistite calculosa
• Hemorróidas
• Dispnéia e cansaço
• Angina e infarto
• Câncer de ovário, mama, útero, próstata, vesícula biliar e cólon
• Hipertensão arterial sistêmica
• Artrite degenerativa
• Varizes e úlceras varicosas
• Apnéia do sono
• Ronco
• AVC (Acidente Vascular Cerebral)
• Risco de acidentes

Problemas Sociais
• Limitação das atividades pessoais, inclusive higiene
• Dificuldade para encontrar roupas
• Limitação de acesso a assentos, catracas, poltronas, portas, brinquedos nos parques de       diversões,
• Restrição a atividades físicas
• Problemas na relação sexual

Problemas no Trabalho
• Dificuldade para conseguir trabalho
• Dificuldade para progredir no trabalho
• Dificuldade para ter seguro médico
• Gasto elevado com tratamento de doenças

Problemas Emocionais
• Depressão
• Neurose
• Suicídio
• Isolamento
• Sentimento de culpa

 

Quando o paciente obeso chega ao consultório, geralmente está preocupado com o seu padrão estético e não sabe a enorme quantidade de doenças que advém da obesidade.

É papel de todo profissional, seja ele médico, psicólogo ou nutricionista, alertar o paciente e ajudá-lo no processo de conscientização e busca de equilíbrio físico e psicológico, visando definir as  metas a atingir para recobrar a saúde.

Obesidade Infantil

Por  Inês Hurtado

A obesidade infantil preocupa as autoridades em todo o mundo.

 Na Espanha, a Federación de Organismos de Radio y Televisión Autonómicos (FORTA) e a Unión de Televisores Comerciales (UTECA), firmaram um compromisso com o Ministério da Saúde para trabalhar em projetos de combate a obesidade infantil.

 As emissoras de radio e televisão se comprometem a diminuir os anúncios publicitários, de produtos pouco saudáveis, para os menores de 12 anos.  Além disso, devem fazer anúncios que incentivem uma alimentação equilibrada, durante o horário infantil.

 Os anunciantes e as emissoras que não cumpram o acordo serão penalizados, e as multas poderão ir de 6.000 a 180.000 euros.

 No México, se a tendência continuar aumentando, em 2018 o país poderá ter a maior taxa de obesidade infantil do mundo, superando assim os estados Unidos.

 No Brasil, a preocupação surge também nas classes menos favorecidas, onde a opção mais prática, rápida e barata de alimentação não é nada saudável.

 Cabe a nós todos, que fazemos parte da sociedade, tomar medidas visando à diminuição desse problema.

 As famílias devem conversar com os filhos e mudar o cardápio, inserindo mais frutas nos lanches e após as refeições.

 Na escola, a direção, os pais e os donos de cantina, devem se reunir e determinar o que é bom para a saúde das crianças e adolescentes. 

Este tema deve ser conscientemente estudado, uma vez que ser criança hoje é muito diferente de ser criança há 20 ou 30 anos.

 Antigamente as crianças brincavam na rua de esconde – esconde queimada, barra-manteiga, pular corda, roda, corrupio, mãe da rua, pega-pega… corriam, pulavam e gastavam muita energia. Se as mães não chamassem para tomar um lanche, ou pelo menos um suco, ninguém sentia falta. Quando as mães chamavam dizendo que era hora de entrar e tomar banho, era aquela tristeza, ter que despedir-se dos amigos, tomar banho, jantar e ver televisão… que tédio! 

Hoje, passam horas sentadas diante da TV, do videogame ou do computador, sozinhos, ao mesmo tempo em que ingerem produtos deliciosos ao paladar, mas pouco ou nada saudáveis

clip_image001

Obesidade – Doença do Nosso Século

balanca

A obesidade  deixou de ser vista apenas como um complexo e fator de discriminação social.

Ela é uma doença que traz riscos maiores para a saúde. Ela propicia o surgimento, desenvolvimento e agravamento de  problemas ortopédicos, varizes,  insuficiência cardíaca, diabetes do tipo 2, insuficiência respiratória, etc.

. É uma doença crônica, com uma grande prevalência nos países desenvolvidos, afetando pessoas de todas as idades, reduz a qualidade de vida e tem elevadas taxas de morbidade e mortalidade.

Estima-se que, em 2025, 50% da população mundial será obesa, a doença é considerada epidemia do século. XXI.

Nas últimas décadas tem havido no Brasil, para um progresso econômico e social. Este curso tem tido um grande impacto nas condições de vida da população. Em primeiro lugar, a melhoria das condições de vida e acesso aos cuidados de saúde tem vindo a aumentar expectativa de vida, que atinge, hoje, a 75,8 anos para homens e mulheres para 74,4 anos em média. Além disso, o sedentarismo e o livre acesso aos alimentos de alto teor calórico provocaram um franco aumento dos índices de obesidade na população. “.
Segundo a OMS, a obesidade atinge 7% da população mundial enquanto 14-20% apresentam sobrepeso. Estima-se que 38% da população brasileira adulta está acima do peso (> 25 kg/m2), com maior incidência entre as mulheres.

Continue reading “Obesidade – Doença do Nosso Século”

Como acelerar o metabolismo

corrida

Poderíamos comparar  o metabolismo como a velocidade  a qual  funciona o motor de nosso corpo. Aproximadamente de 60% a  75% da energía do corpo é utilizada nessas atividades  na hora de descanso.

O corpo está continuamente queimando calorias para manterse funcionando. Não importa se estamos dormindo, comendo ou realizando qualquer outra atividade.  As pessoas com menor quantidade de gordura  tem um metabolismo relativamente mais rápido. Se ao  contrário, temos um metabolismo lento,  nossa tendência a engordar será maior.

As razões para um metabolismo lento são: uma dieta baixa em calorías, assaltar a geladeira entre as refeições, comer alimentos com  muito açúcar (tortas, balas, bolachas),  a falta de exercício ou um mau funcionamento da glándula tiróide.

Não tome remédios sem o conhecimento médico, pois podem ter efeitos colaterais como transpiração excessiva, diarréia, nervosismo ou aumento do ritmo cardíaco.

Para acelerar seu metabolismo não “pule” refeições, faça exercícios regularmente, tome de 8 a 10 copos de água ao dia, consuma alimentos   nutritivos, e evite as bebidas alcoólicas e o açúcar.

Fonte:  www.vivirsalud.com/2009/08/12

Beneficios da Atividade Física

academia

Todos afirmam que o exercício físico é bom par a nossa saúde. Isso já sabemos, mas, quais são os verdadeiros benefícios da atividade física? Ela ajuda a melhorar o humor e a ter mais energía. Da mesma forma colabora na prevenção de doenças. O exercício físico é uma das maneiras mais saudáveis de melhorar a qualidade de vida.

Em primeiro lugar melhora o humor. Una caminhada de 30 minutos pode ajudar a diminuir o estresse. A atividade física estimula certos processos químicos que trazem como resultado a sensação de relaxamento e felicidade. Além disso, o exercício combate as doenças crônicas. Se está preocupado em prevenir doenças do coração , a osteoporose, a pressão alta e inclusive diminuirá seus níveis de colesterol.

Um dos efeitos positivos mais evidentes do exercício físico é o controle do peso. Se quiser emagrecer, caminhe um pouco todos os dias ou realize outro tipo de atividade física. Quanto mais exercício fizer, mais calorias queimará e por isso, será más fácil manter um peso adequado

Mais benefícios da atividade física? Aumenta seu nivel de energía. Ja não se cansará tão facilmente ao subir as escadas ou fazer compras. O exercício ajuda nosso sistema cardiovascular e portanto nos sentimos mais dispostos..

O exercício físico é uma boa solução para aqueles que sofrem de insônia ou padecem de outros transtornos do sono. Se fizer exercícios regularmente conciliará o sono mais facilmente. Com o aumento de energia terá mais disposição . E como consequência uma melhoría em sua vida sexual. Os homens que se exercitam regularmente são menos propensos a ter problemas de disfuncão erétil.

Para fazer exercício, não é necessário freqüentar uma academia. Pode praticar um esporte, fazer caminhada ou andar de bicicleta com os amigos. O essencial é tornar a atividade física um momento de lazer e satisfação.

Fonte: http://www.vivirsalud.com/2009/08/12