Reprodução Humana – Sonhos, realidade, expectativas, problemas…

 

Vivemos em uma sociedade de contrastes.

Enquanto algumas tem  o bebê  e  o  jogam na caçamba de entulho… causando  espanto e indignação… outras sonham em ter seu próprio filho, a sua continuidade, alguém a quem transmitir o que sabem,  o que possuem  e  o amor que tem!

Na  história da humanidade a mulher não fértil era vista como castigada e podia até ser excluída da família. Não havia tratamento para isso.   A fertilidade era um presente dos deuses. A mulher grávida era  a que trazia sorte, alegria e  riqueza para o lar.

Hoje, para ter o  filho tão sonhado, os casais  planejam, programam e esperam. Porém,  nem sempre a gestação ocorre.  Então começa a peregrinação por médicos e laboratórios para descobrir e corrigir o que não está permitindo a gravidez.

A investigação, geralmente, começa pela mulher que vai ao ginecologista e se submete a vários tipos de exames. Quando a causa não é detectada, então  o parceiro tem que fazer os exames necessários.

A gravidez  é um processo que envolve fatores:  físicos,  psicológicos, sociais, financeiros  e religiosos . Por isso, a infertilidade pode ser multi-determinada.  É fundamental que haja um diagnóstico conjugal para iniciar o tratamento.

A decisão de realizar um tratamento para engravidar, exige um grande  investimento emocional.  É  preciso investigar os reais motivos que levam o casal ou um deles a realizá-lo.  Nas consultas com a psicóloga se detectam os sonhos, sentimentos,  expectativas e crenças que influenciam essa decisão. Muitas vezes  alguns são inconscientes e precisam ser trabalhados. Muitas perguntas  precisam ser repensadas e respondidas.

 Trazer ao mundo um ser humano, seja por processo natural, seja por reprodução assistida, requer estabilidade emocional;  compromisso de amar, respeitar e educar para que ele tenha  o seu lugar na sociedade;  aceitação do outro como  um ser diferente das expectativas.

 Também é preciso estar preparado para as mudanças que a gestação e a maternidade trarão à vida do casal.  São alterações físicas, de humor, sexuais e na própria rotina.   O parceiro deve estar consciente e preparado para essas alterações. As mudanças se iniciam desde que há o desejo de engravidar, seguem por todo o período gravídico e pós-parto.  São fases diferentes, com características próprias e gerais, o que não quer dizer que todas as mulheres a vivam da mesma forma ou com a mesma intensidade. Há  as diferenças individuais e a história de vida de cada uma delas.

Advertisements